Surpresa! Já em janeiro Marie Kondo, recém mãe, nos brindou com mais um livro sobre seu método de como se cercar de coisas que te trazem alegria. Spark Joy na gringa, aqui no Brasil ele ganhou o título “Isso me traz alegria: Um guia ilustrado da mágica da arrumação“. Lá nos EUA, ele andou na lista dos mais vendidos do New York Times.

marie-kondo-isso-me-traz-alegria-livro-konmari

O livro se classifica como uma master class, um detalhamento do que o primeiro livro não conseguiu deixar claro. Eu entendo que em “A mágica da arrumação”, Marie Kondo quer te convencer a usar o método e intercala as regras com comentários e anedotas, o que deixa a lavagem cerebral o convencimento mais orgânico, mais humano mesmo. Em resumo, é um “esse é meu método. Ele não é cruel, siga meus passos que vai dar tudo certo”. E no final da leitura você se convence que sim.

(Aí o processo começa. Sair da ordem da triagem é a primeira tentação, mas você se mantém firme. O armário fica mais leve, você reencontra peças que estavam abandonadas há tempos. Você encara as 55984 meias, tenta dobrar seguindo a descrição do livro. Perde a paciência, para por uns dias, mas fica inquieta porque parte da casa está organizada, parte não. E quando será que finalmente você vai conseguir livrar aquela parte da estante que está mirando pra, no futuro, ser o lugar onde vai deixar as contas? E como era mesmo a ordem? Em que categoria mesmo se encaixam os alimentos? SOCORRO!)

Entra o Isso me traz alegria para nos salvar. Ele repete os passos e os preceitos do método, mas agora se alongando nos detalhes que deixam dúvidas, anseios, angústias. Pra começar, ele tem ilustrações que mostram como dobrar de tudo seguindo o KonMari. E claro que elas são fofuchas, há uma Marie Kondo coelha demonstrando como tudo fica lindo depois de organizado, com direito a estrelinhas mágicas.

marie-kondo-spark-joy-como-dobrar-camisas
Uma das ilustrações de Spark Joy que mostra como dobrar camisetas

E como esse detalhamento é importante pra você não pirar! Enquanto eu lia o livro, chegaram armários novos de cozinha em minha casa. Rolou um momento triagem KonMari + reorganização total de como eu guardo as coisas de cozinha. E quando você tira de um tudo e ainda assim sobra aquele monte de copos e panelas te olhando?

Segundo Marie Kondo, cozinha é um drama para todos, seja na parte de utensílios, seja na despensa. E o que causa todo o drama é que por conta da variedade de objetos necessários para cozinhar e comer, na verdade o importante na arrumação da cozinha é fazer com que tudo esteja visível. Nenhum problema em empilhar assadeiras ou panelas, contanto que ao abrir o armário você veja imediatamente onde elas estão. Drama resolvido.

Outro ponto bem importante e bem frisado ao longo do Isso me traz alegria é nada vai ficar organizado antes que você passe por TODAS as etapas da triagem. Só depois de tirar toda a tralha é que você vai colocar as coisas em seu devido lugar. Sendo assim, nada de sofrer porque ainda existem setores da casa ocupados, isso é um momento transitório (Mantra: esse montinho é transitório, esse montinho é transitório).

Reforçando: nada de se sobrecarregar avaliando o que te traz alegria e querer organizar as coisas ao mesmo tempo. E Marie Kondo promete que a etapa da organização também vai ser feliz: “Pessoalmente, eu sinto que a essência do processo de guardar as coisas é apreciar o que você possuiu e tentar fazer com que o seu relacionamento com elas seja o mais especial possível. Decidir onde cada coisa fica é dar a esse objeto um lar.”

Pra finalizar, Marie Kondo fala como lidar com as pessoas que compartilham a casa com você. E aqui o bacana é que há uma via de mão dupla: não é só sua família que precisa ser convencida a abraçar o KonMari, você precisa aprender a entender/conviver/aceitar os objetos que trazem alegria para os outros. “Só quando aceitamos incondicionalmente pessoas com valores diferentes dos nossos é que podemos dizer que terminamos o processo de organização”. Também poderia ser “Só quando aceitamos incondicionalmente pessoas com valores diferentes dos nossos é que podemos dizer que temos uma vida feliz”, né?

Isso me traz alegria: Um guia ilustrado da mágica da arrumação – Marie Kondo
Editora Sextante
272 páginas (maravilhosas)