Eu estava bem ansiosa com essa fase da triagem por motivos de ALEJANDRIA!

Só um pouquinho de livros! :P
Só um pouquinho de livros! 😛

Eu sempre quis ter uma estante bacana pra abrigar meus queridinhos. E livros são exatamente o tipo de objeto que me traz alegria imediata só de olhar pra eles. Tem uma passagem de “Glory”, de Nabokov, que eu poderia usar como uma descrição minha:

Such a person, upon happening to recall, amidst routine occupations, that on his bedside table a book is waiting for him, in perfect safety, feels a surge of inexpressible happiness.

Eu chamo a dupla de estantes de Alejandria primeiro porque aqui fica a minha biblioteca ideal e segundo porque ela foi feita por Alejandro, da Marcenaria do Tatu (indico loucamente, trabalhos incríveis de alguém que ama madeira tanto quanto eu). Além de escolher madeira como base, pedi essas portas de vidro pra proteger os livros e a minha rinite da poeira.

Vocês já viram pelo papo que eu adoro a estante e tudo que está dentro dela. Os livros já estão ordenados na melhor forma possível para mim: não ficção na esquerda, ficção na direita. Os de não ficção estão separados por temas: mestrado, faculdade, música, história, arte e fotografia. E os livros na horizontal são os que eu ainda não li. Em ficção, estão por ordem alfabética pelo primeiro nome do autor.

Não penso em fazer doutorado tão cedo, mas ainda fico bem feliz de ver a minha coleção de títulos sobre migrações e relações internacionais. Me lembro bem da dificuldade de encontrar alguns deles, das economias e idas a feiras de livros pra completar a coleção. Muito bom que eles estão aqui. ❤

Outra coisa que colaborou para o crescimento da coleção foi o trabalho, fui repórter e editei um site sobre livros por um bom tempo e recebia muitos livros. Tirei alguns livros muito bons, mas que não tinham mais a ver com meus gostos. Também se foram os dicionários simples: com o Google Translate na ponta dos dedos não faz mais sentido me agarrar aos meus Michaelis. Ficaram só os de expressões idiomáticas e temas específicos.

Aí chego na estante dos não lidos, que sofreu as maiores baixas. Tenho lido muito mais no Kindle por questões de praticidade (não que isso me impeça de comprar depois a versão impressa pra colocar na estante). Muita coisa que estava lá também já é de domínio público, que pode ser baixada de graça. Preciso urgente fazer um revezamento entre o digital e o impresso pra diminuir a pilha. 😛

Com o espaço livre, pude trazer da cozinha os livros de receitas, que também foram reduzidos. Deixei só os que já usei para cozinhar e os que fico paquerando as fotos dos pratos.

Chegamos aos livros de ficção. A seleção aqui já era de livros que eu adoro, que recomendaria, que já li mais de uma vez (ou relerei, sou dessas). Mesmo assim, encontrei algumas coisas pra tirar. Eu não resisto a uma bela capa mesmo que já tenha o livro, fiquei com as mais bonitas. Já sobrou um espacinho pra coleção completa de Jorge Amado que está morando na casa de minha mãe.

20151025-IMG_6106

De pouquinho em pouquinho eu tirei 88 volumes! :O O engraçado é que olhando de relance não parece que tanta coisa assim foi embora, mas a estante ficou mais leve com os espaços que apareceram por lá. Meus livros também parecem bem mais felizes. J

Balanço: 88 livros a menos.